O que é disciplina positiva e quais são suas vantagens

Educar é uma das tarefas mais difíceis para qualquer mãe ou pai. Não importa de qual geração se faça parte ou quantos filhos se tenha, sabemos que cada criança é um indivíduo único e singular e precisa de um olhar afetuoso, uma postura gentil e firme e uma disciplina pensada exclusivamente nela. Por isso, muitos psicólogos, pedagogos e os próprios familiares vêm, ao longo das décadas, seguindo o programa da disciplina positiva na educação de crianças e jovens.

Educar por meio do afeto, da representatividade e do exemplo sem perder a firmeza é andar por uma linha tênue. Apesar disso, compreender e transmitir o amor impondo limites pode resultar, a longo prazo, em cidadãos conscientes sobre suas responsabilidades e seu lugar no mundo. 

A disciplina positiva traz uma dinâmica redonda e muito prazerosa tanto para as crianças como para os pais, pois torna cada membro da família um protagonista em potencial e  reativa as relações de afeto dentro do núcleo familiar sem estresse, chantagens emocionais ou ameaças para conseguir ordem.

Se interessou e quer entender um pouco melhor sobre disciplina positiva? Então, continue a leitura que vamos abrir o leque sobre esse método de educação. Vamos lá?

O que é disciplina positiva?

O conceito de disciplina positiva veio, primeiramente, como resposta à grandes migrações para os centros urbanos e constantes mudanças comportamentais, culturais, econômicas e políticas nas sociedades. O fato de que crianças deixaram de ser vistas como contribuintes econômicas da família e que a mulher foi deixando, pouco a pouco, o papel de exemplo de submissão, são dois fatores que fizeram com que a disciplina ficasse cada vez mais complicada de ser trabalhada, especialmente com crianças. 

A disciplina positiva nasceu oficialmente no período pós-primeira guerra mundial, com os psiquiatras Alfred Adler e Rudolf Dreikurs. Adler realizou, ao longo dos anos, diversas pesquisas e constatou por meio de observações que a forma mais eficaz de educar crianças e jovens era através de conceitos reais de respeito, responsabilidade e resiliência.

Anos mais tarde, na década de 80, a Dra. Jane Nelsen e seu livro intitulado “Positive Discipline”  trouxeram o assunto de volta e o popularizou tanto entre o meio acadêmico como entre o meio familiar. 

A disciplina positiva defendida e estimulada pela Dra. Nelsen é moldada nos estudos dos psiquiatras Adler e Dreikurs e tem como pilar três pontos: afeto, respeito e aprendizado mútuo. Seus fundamentos são demonstrar amor aos pequenos desde os primeiros dias de vida, se impor diante deles ensinando-lhes a compreensão sobre respeito e, por fim, saber ouvir e aprender com eles sempre.

A disciplina positiva tem como base o senso do pertencimento, ou seja, fazer com que a criança se sinta conectada com o meio em que vive – seja o núcleo familiar ou escolar. É torná-la parte do todo, como membro ativo, atuante e fundamental para o desenvolvimento da comunidade em que convive.

Podemos concluir, então, que a disciplina positiva vem para resgatar a educação por meio do afeto, do exemplo, da compreensão e do respeito. É uma troca de experiência, saberes e amor, tudo pautado no respeito e no poder do pertencimento social.

Como a disciplina positiva pode ser implementada dentro de casa?

Uma mãe e seu filho brincando em um sofá, demonstrando a disciplina positiva.

Disciplina positiva, na verdade, nasceu com o objetivo de ser implementada no ambiente familiar. Afinal, é dentro de casa que os pequenos aprendem as primeiras noções de disciplina e educação. É importante, antes de iniciar o processo dentro de casa, que os pais compreendam e estudem o tema com calma, façam bastante pesquisa e mantenham a mente aberta para absorver e entender de fato o que é disciplina positiva, quais seus reais impactos e como visualizar seus impactos com o passar do tempo.

É necessário, também, que as famílias se conheçam muito bem, observando a personalidade de cada membro dentro do lar, a rotina do dia a dia, os gostos e interesses, tudo precisa ser planejado para que o processo de educação positiva renda bons frutos e seja confortável para todos.

Antes de qualquer coisa, é preciso eliminar certos vícios comportamentais que muitas vezes carregamos conosco sem nem ao menos perceber, por exemplo:

  • Não ignore seu filho quando ele estiver falando: por mais ocupado ou atrasado que você esteja, pare e olhe para ele, ouça o que ele tem para dizer;
  • Não barganhe ou faça chantagem: é muito comum entre os pais, para conseguir algo das crianças, que barganhe “se você comer tudo depois pode mexer no celular”, não faça isso;
  • Não faça comparações: nem entre um filho e outro e nem com outras crianças;
  • Não grite para impor autoridade;
  • Não tire do seu filho o senso de responsabilidade: seja para cuidar de um brinquedo, uma roupa, para fazer o dever de casa ou cuidar do bichinho de estimação;

Para que a disciplina positiva seja aplicada com sucesso é essencial que as famílias entendam a importância do afeto e do senso de pertencimento. Para que isso possa ser aplicado na rotina de uma casa, é essencial que os pais sigam algumas dinâmicas na hora de educar seus filhos, tais como:

  • Reserve um tempo produtivo em família: seja para conversar sobre o dia, para ensinar uma brincadeira, para ver televisão, contar uma história, brincar etc. É necessário criar esses laços;
  • Olhe nos olhos: sempre que seu filho vier até você para perguntar algo ou contar alguma coisa, pare o que você estiver fazendo, olhe para ele e preste atenção. Olhe nos olhos do seu filho e deixe claro que você tem interesse no que ele está falando;
  • Demonstre afeto: não tenha medo ou pudor em demonstrar ao seu filho o quanto você o ama e o quanto ele é importante e querido para você, faça-o se sentir querido, acolhido e amado;
  • Imponha limites: dar afeto e atenção não é sinônimo de ser permissivo. Saiba impor sua presença e sua voz, criando um senso de hierarquia enquanto mantém um tom gentil e firme. Limites são essenciais para moldar a postura e o caráter de uma pessoa, mas sem gritos ou autoritarismo. Converse, explique os “nãos” e abra sempre um canal para o diálogo;
  • Dê responsabilidades: dar responsabilidade desde cedo para a criança, sobre seus objetos pessoais e, principalmente, sobre suas ações, é fundamental para que ela venha a compreender a dinâmica de se viver em sociedade, sem medos e sem cobranças excessivas.

Como funciona a disciplina positiva dentro da educação de crianças?

Garota adolescente recebendo uma aula nos moldes da disciplina positiva, usando um computador enquanto o professor dá explicações.

A disciplina positiva é um complemento para educação de crianças. Ela vem para abrir as portas e facilitar o processo educacional, tanto no que diz respeito ao comportamento dos pequenos em sala de aula – com professores e colegas – como na dinâmica do ensino em si.

Crianças com maior compreensão de disciplina, hierarquia e, principalmente, que entendem a importância do saber, do diálogo é do convívio harmonioso em sociedade – ainda que de forma inconsciente – aprendem melhor e mais rápido

Além disso, se sentir bem, respeitado e validado também é uma parte muito significativa em nosso aprendizado, evitando que certas travas sejam criadas e mantidas por longos períodos da vida (como é muito comum em crianças e jovens que passam por experiências traumáticas em âmbito escolar). 

As escolas podem e devem usar a disciplina positiva para melhorar a troca de experiências entre alunos e professores, aplicando linguagens e exemplos que aproximem o conteúdo do aluno no dia a dia.

É essencial que professores e pedagogos entendam que não basta apenas ensinar o que vem descrito nos livros e apostilas, é preciso conhecer o indivíduo que está ali para aprender, demonstrando interesse por ele, pela sua individualidade, pelo bem-estar de cada um e não somente com uma nota no final do semestre.

A criança precisa se sentir acolhida em todos os meios que frequenta, precisa sentir-se segura, precisa confiar na figura adulta que conduz o seu caminhar, seja dentro de casa ou na escola.

Como a disciplina positiva é trabalhada na Red Balloon?

Menina criança sorrindo para a câmera enquanto recebe uma aula nos moldes da disciplina positiva.

A Red Balloon entende que tratar cada aluno com afeto e cuidado é fundamental para o ensino de um novo idioma. O professor precisa conhecer o aluno, compreender quais são suas dificuldades para poder ajudá-lo a superar um possível bloqueio da melhor maneira.

Acreditamos que ninguém aprende uma segunda língua como em um processo de produção em massa, ou com o famoso copia e cola. Por isso, no apoiamos na disciplina positiva para moldar nossa metodologia e nossa fórmula de ensino.

Prezamos por uma metodologia participativa, onde há uma troca de saberes, de histórias e onde as portas estão sempre abertas para as novidades linguísticas e para temas que são comuns e presentes na vida das crianças e jovens, como os games e redes sociais.  

Sabemos que o ensino não pode ser uma plataforma inflexível e quadrada, feita de uma maneira que torna sua adaptação às novas gerações extremamente difícil. Pelo contrário, a educação deve ser libertadora, flexível e olhar para cada indivíduo como único. Isso facilita o aprendizado não apenas de um idioma, mas nos permite ensinar a cada aluno sobre superação, socialização e comprometimento.

A disciplina positiva vem ganhando força ao longo dos último anos, em tempos em que tecnologia avançada nos arremata a cada segundo com mundo de informações. Ter tempo de qualidade para viver entre família se tornou essencial para muitas famílias que almejam criar seus filhos desde os primeiros passos para que se tornem indivíduos mais afáveis, responsáveis e conscientes sobre seu lugar na sociedade.

E, então, gostou de conhecer sobre a disciplina positiva? Já tinha ouvido falar a respeito? Agora que já conhece, acredita que essa metodologia combina com o estilo da sua família? Conta para a gente nos comentários! Para mais artigos como esse, não deixe de assinar nossa newsletter e receba em primeira mão todos os nossos conteúdos exclusivos! Você pode também continuar lendo nossos posts e aprender sobre a importância do inglês nos primeiros estágios da vida.

 

Entre em contato