Novo Ensino Médio: por que o ensino do inglês foi potencializado com esse modelo?

Carolina Campos, Consultora Pedagógica da Red Balloon, comenta sobre as mudanças na educação e a importância de aprender o inglês de forma significativa

Atualmente, o Brasil está classificado em 58º lugar no ranking de países com melhores níveis de proficiência em inglês, das 111 nações avaliadas, segundo o Índice de Proficiência em Inglês da EF (Education First). Entretanto, já há perspectivas que estimulam os brasileiros a reverter esse quadro: no Novo Ensino Médio, vigente desde 2022, o idioma passou a ser obrigatório na educação básica.

Além de garantir que, em todas as instituições públicas e privadas do Brasil, os estudantes tenham contato com o inglês por mais tempo, as novas políticas públicas também indicam um ensino menos formal e mais prático. O contato frequente e significativo com a língua é uma das especialidades da Red Balloon – e, agora, uma demanda nacional.

“Como proposto na BNCC, o ensino de inglês no Ensino Médio tem como função primordial a expansão e consolidação do conteúdo aprendido no Ensino Fundamental, de maneira reflexiva e contextualizada. Tais premissas garantem que os estudantes estejam preparados para discutir e opinar sobre diversos assuntos, em contextos sociais e de formalidade variadas”, diz Carolina Campos, Consultora Pedagógica da Red Balloon.

O Novo Ensino Médio e o aprendizado do inglês

No Novo Ensino Médio, os estudantes personalizam os seus currículos e grades horárias. Eles selecionam as áreas que possuem mais interesse para se aprofundar, podendo escolher entre Ciências da Natureza, Matemática, Linguagens e Ciências Humanas. Nesse novo formato, a interseccionalidade entre disciplinas também tende a ser muito maior.

“Com os itinerários formativos e disciplinas eletivas, há ainda uma nova chance de traçar pontes entre o inglês e outras matérias, de maneira que o inglês amplia as fontes de informação, democratiza o acesso a dados e propicia mais uma perspectiva a ser considerada em discussões e reflexões”, afirma Carolina Campos.

Como a Red Balloon se insere nesse contexto? 

“A Red Balloon oferece soluções para diferentes necessidades. Nas unidades de rua, temos os cursos com carga horária de 4 horas semanais divididas em dois encontros presenciais. Pensando na nova rotina dos adolescentes, alguns níveis são ofertados no formato de Intensive Groups, com um encontro semanal de 3 horas e um documento que guiará os estudos em casa, dando autonomia aos estudantes”, aponta Carolina.

Já para as escolas, os programas de English Solutions propõem as seguintes possibilidades:

intracurricular: a qualidade da Red Balloon é levada para dentro do currículo escolar, com carga horária de 4 horas divididas em 4 dias;

  extracurricular: a escola oferece uma opção de ensino no contraturno.

Assim, a Red Balloon promove o ensino do inglês de forma séria, responsável e divertida, com um acompanhamento individualizado para os alunos e preparando-os para o mundo.

Quer saber mais sobre as oportunidades oferecidas pela Red Balloon? Acesse já o nosso site!

 

Entre em contato