Dia da Mulher: confira a história do protagonismo feminino na Red Balloon

Ruymara Almeida, Diretora de Learning da Red Balloon, destaca a importância das mulheres para o funcionamento da empresa e da educação como um todo

O Dia da Mulher, comemorado mundialmente no dia 8 de março, é um momento importante para refletir sobre as lutas e as conquistas das mulheres. No setor da educação, a contribuição delas é nítida: dos cerca de 172 mil docentes da língua inglesa no Brasil, 80,34% são do sexo feminino, segundo o Observatório para o Ensino da Língua Inglesa em pesquisa disponibilizada pelo British Council.

 

A história

Na Red Balloon, o protagonismo feminino é evidente, tanto no contexto atual, quanto na criação da empresa. A marca foi uma iniciativa de Raquel Lam e seu então noivo Moisés Lam, que, em 1969, decidiram abrir um curso de inglês para crianças a partir dos 3 anos. Para a época, era uma proposta inovadora, que já trazia uma metodologia própria e uma estrutura pensada especificamente para o público infantil.
 
“Regina Eisig, irmã de Raquel juntou-se a eles e ajudou na divulgação que era feita por meio de folhetos distribuídos nas portarias dos prédios de Higienópolis. Juntas, elas construíram uma escola que fez e faz a diferença na vida de inúmeras famílias por todo Brasil e se tornou referência no ensino de inglês”, diz Ruymara Almeida, Diretora de Learning da Red Balloon.

 

Uma marca construída por mulheres

“Historicamente, durante as duas primeiras décadas de existência, a Red Balloon sempre teve apenas professoras de inglês. Talvez até porque, tanto no mundo quanto no Brasil, a educação básica está nas mãos das mulheres”, afirma Ruymara.
 
Com o passar dos anos, a sociedade iniciou um processo de conscientização de que a educação é assunto para todos – homens e mulheres. Logo, a Red Balloon passou a ser procurada por professores do sexo masculino, inicialmente focados nas turmas mais velhas, mas que hoje percebem que também são excelentes com estudantes pequenos.
 
De qualquer forma, a empresa segue tendo um predomínio feminino, inclusive em cargos de liderança. “Na direção geral, temos a Daniela Villela. Além disso, quatro dos sete líderes da alta liderança são mulheres. E as gerentes da área pedagógica e produção também”, aponta a especialista.

 

Ao todo, a rede possui 103 Coordenadores, sendo 94,76% mulheres. E, dos cerca de 1100 professores da Red Balloon, 80% são mulheres – número que equivale à proporção nacional. Para completar, as secretarias e helpers representam um total de 200 colaboradores, em maioria do sexo feminino também.

 

Como incentivar o debate sobre as conquistas femininas e o respeito?

“Acredito que a melhor maneira de incentivar o debate é garantir que as mulheres tenham oportunidade de ocupar diversas posições de liderança e dar voz a elas nos processos de tomada de decisão. Além disso, é importante lembrar que todos somos um exemplo para as estudantes. À medida que observam nossa atuação na educação e no trabalho, elas se sentirão seguras e confiantes para se tornarem o que quiserem”, diz Ruymara. 

 

Em síntese, a Diretora de Learning ressalta que um ambiente em que a diversidade é respeitada e há empatia e cooperação é benéfico para todos. Nas aulas, a importância das mulheres na história pode ser abordada, além de atividades em grupos de meninos e meninas, nas quais os estudantes observem que todos possuem as suas potencialidades e limitações. Por fim, as turmas podem ser convidadas a questionarem estereótipos atribuídos a gêneros, como algo ser considerado “coisa de menina”.

 

Para mais conteúdos como esse, acesse o blog da Red Balloon!

 

Entre em contato