Como funciona o aprendizado de uma língua em cada idade

Saiba qual a melhor idade para começar a aprender e os métodos mais eficientes para cada idade

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC), referência obrigatória para elaboração de currículos escolares no Brasil, legitima o inglês não como uma Língua Estrangeira, falada em países como Estados Unidos e na Inglaterra, mas como uma Língua Franca. Isso significa que o idioma é considerado uma oportunidade de acesso ao mundo globalizado.

Por isso, os pais preferem que seus filhos comecem a estudar o inglês desde cedo, para já chegarem à fase adulta fluentes em mais uma língua além do português. Mas o aprendizado de um novo idioma não é algo rápido, e pode levar anos para uma pessoa atingir a fluência.

Os métodos de ensino mais eficazes variam de acordo com a faixa etária, e podem ser muito diferentes para crianças pequenas, pré-adolescentes, adolescentes e adultos. Mas qual a melhor idade para começar a aprender inglês? Será que existe idade certa?

Existe idade certa?

Um estudo do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) performado em 2018, e que segue sendo referência quando se trata da janela de aprendizado de uma segunda língua, afirma que a idade ideal para começar a aprender é antes dos dez anos.

Com uma “janela” ideal que vai até os 18 anos, quando se pode desenvolver habilidades fluentes em escrita e conversação com a facilidade de uma criança. Depois disso, claro que ainda é possível aprender, mas o aprendizado acaba ficando mais estreito, e dificultando o processo para se tornar um falante quase nativo.

Os responsáveis pelo estudo afirmam também que não há muita diferença entre as crianças que são introduzidas a mais de um idioma desde o nascimento e aquelas que começam a aprender até os dez anos. Porém, o declínio no aprendizado já é observado desde essa idade.

Como o cérebro processa o aprendizado de uma nova língua?

Carolina Stancati, diretora da Red Balloon, afirma que, mais importante do que o “quando” é o “como”. Segundo ela, se as crianças estão inseridas em um ambiente seguro e respeitoso, onde elas são encorajadas a aprender, haverá mais facilidade.

A curiosidade, segundo Stancati, deve ser fomentada em sala de aula, criando um interesse natural em aprender. Além disso, é importante que o aprendizado esteja sempre dentro do contexto dos alunos, trabalhando a complexidade de cada faixa etária, incluindo novas tecnologias e trabalhando questões comportamentais e cognitivas.

Como aprender uma nova língua depois de mais velho?

É importante para adultos já fora da “janela de aprendizado” inserirem o novo idioma em seu contexto e cotidiano. Séries, filmes e livros em outras línguas podem servir de ajuda para se familiarizar com o vocabulário e com sotaques, além de ir além das apostilas e cursos de inglês.

Apesar disso, não se deve abrir mão da gramática e de estudar os fundamentos dessa nova língua, do mesmo modo que estudamos português na escola. O ideal, tanto para crianças quanto para adultos, é se sentir instigado a aprender, e seguir aprendendo, criando um contexto seguro para isso.

Entre em contato