Pedagogia de projetos: saiba tudo sobre essa abordagem

>

16 de dezembro, 2020

Você já reparou como a escola dos seus filhos aposta em projetos, pesquisas e eventos sobre diversas temáticas ao longo do ano letivo? Bom, essa é uma metodologia muito utilizada, chamada pedagogia de projetos, e trata-se de mais uma das estratégias de ensino para impulsionar o aprendizado dos alunos. E, se você quer entender no que se baseia essa prática e descobrir como ela funciona no dia a dia escolar dos pequenos, confira este manual completo produzido pelo blog da Red Balloon através de entrevistas com pedagogos e especialistas.

Antes de aprofundarmos o tema, vale frisar que se engana quem pensa que os projetos propostos pelos educadores são apenas para entreter e movimentar a rotina dos estudantes. Embora a pedagogia de projetos também possa servir para essa finalidade, o seu conceito é muito mais abrangente e pode potencializar o processo de aprendizado e de desenvolvimento infantil. 

Com essa informação em mente, lhe convidamos a continuar a leitura até o final para descobrir quais são as principais características desse método e os objetivos que ele visa alcançar. Vamos lá?

O que é pedagogia de projetos?

Sustentada pelo filósofo americano John Dewey, a pedagogia de projetos teve seus primeiros estudos entre o final do século XIX e início do século XX e defende que na escola a criança aprende a solucionar os desafios enfrentados no mundo real — e que são vivenciados especialmente durante a fase adulta.

Com isso, a pedagogia de projetos está focada em proporcionar conhecimento e aprendizado com base nas experiências vividas em uma realidade projetada dentro do ambiente escolar e guiada pelos educadores da instituição — além de também ser importante a assistência e acompanhamento dos pais, responsáveis e demais representantes do núcleo familiar.

Isto é, os famosos trabalhos, projetos e culminâncias planejados pela escola fazem parte, na verdade, de uma metodologia um pouco mais complexa que permite que a criança lide — ainda na infância — com situações típicas de um ambiente de trabalho ou de uma equipe de outros grupos sociais.

O interesse e a conexão com a pesquisa

A pedagogia de projetos tem como uma de suas principais ferramentas a pesquisa, seja ela teórica ou de campo. Portanto, a curiosidade, a autonomia infantil e o interesse por novas descobertas são traços que tendem a ser muito bem desenvolvidos nos alunos que participam dessa estratégia de ensino.

Consequentemente, a criança tem a possibilidade de crescer conectada com este universo de estudo e obter mais facilidade para produzir trabalhos acadêmicos, monitorar outros colegas em determinada disciplina que ela possua maior habilidade e até desenvolver os seus próprios projetos de pesquisa de forma independente — mas, é claro que uma orientação profissional ou mesmo da escola pode ser ainda mais enriquecedora.

O que visa a pedagogia de projetos?

Dessa forma, é possível afirmar que a pedagogia de projetos visa diretamente dois objetivos, sendo o principal deles possibilitar uma formação educacional e um desenvolvimento cognitivo e social com base em atividades práticas, bem estruturadas e protagonizadas pelo aluno. Isso significa que os pequenos serão os grandes responsáveis por fazerem os projetos acontecerem e, assim, tirarem diversos ensinamentos a respeito da temática abordada em cada um deles.

Entretanto, o outro objetivo que pode ser alcançado com a pedagogia de projetos — e que já mencionamos rapidamente acima — é a aproximação com a área científica na infância, sempre de forma compreensiva e pertinente para a idade. Afinal, ensinar ciência para crianças é um desafio que os professores lidam diariamente — devido a complexidade e a amplitude desse campo do conhecimento —, porém, utilizando a metodologia adequada, tais assuntos podem ser abordados de maneira muito mais dinâmica e produtiva.

A importância familiar no desenvolvimento dos trabalhos

Apesar de a pedagogia de projetos ser uma competência da instituição de ensino, pais e responsáveis também podem participar de todo o processo, inclusive nas fases preparatórias onde os alunos precisam aprimorar algumas etapas do projeto fora de sala de aula. Para isso, é fundamental que a família conheça a proposta da escola e esteja por dentro da metodologia aplicada.

Logo, ter acesso aos planos de aulas e ao cronograma do projeto é um bom meio de acompanhar o processo de aprendizado — e, inclusive, aprender coisas novas juntinhos dos filhotes —, além de auxiliar com as tarefas de maior complexidade, colaborando assim para que a garotada possa conquistar melhores resultados em suas pesquisas.

Contudo, é preciso lembrar que o papel da família é apenas monitorar e auxiliar a estratégia da pedagogia de projetos, e jamais tomar a frente do trabalho e solucionar as questões no lugar do aluno, ok? Afinal, a intenção é justamente que o estudante possa vivenciar todas as características presentes na metodologia e aproveitar os seus benefícios.

4 características da pedagogia de projetos

O ensino por projetos estimula a sociabilização e a autonomia através de dinâmicas e brincadeiras, que proporcionam engajamento dos alunos

Existem diferentes metodologias adotadas em sala para impulsionar o aprendizado, como a pedagogia afetiva, o design thinking e a educação criativa. E, o ponto de destaque é que a pedagogia de projetos pode ser incrementada a esses outros métodos, formando uma estratégia de ensino abrangente.

Mas afinal, quais são as características da pedagogia de projetos e como ela pode se adequar para funcionar com as outras abordagens? Para você entender com clareza, abaixo elencamos os quatro principais aspectos e detalhamos o que diferencia essa metodologia das outras:

Intencionalidade

A intencionalidade se refere a definição do objetivo da pesquisa do aluno. Esse objetivo — que pode ser mais de um — é traçado pelo professor com base nos benefícios e nós aprendizados que o plano de aula sugere para a turma durante aquele período. Entretanto, a temática central do projeto ainda é de escolha do aluno.

É a intencionalidade que baseia também todo o restante da programação e da estrutura do projeto. Ou seja, é onde se define se será trabalhado em grupo, se a culminância terá um evento comemorativo, qual a quantidade de relatórios que o time ou o aluno deve produzir durante a pesquisa e qual o objeto final do projeto. Esses são apenas alguns dos pontos que devem ser estabelecidos pelo educador e pela equipe organizadora. 

Flexibilidade

A pedagogia de projetos precisa ser flexível. Isso porque ao longo dos estudos desenvolvidos é comum que a ideia central ganhe uma nova percepção, por isso toda pesquisa acaba ganhando um novo rumo — sem contar as novas possibilidades de trabalho e habilidades adquiridas durante o processo.

Além disso, a flexibilidade permite que o objeto de estudo se enquadre nas outras metodologias de ensino empregadas pela instituição. Especialmente quando há alguma dificuldade de aprendizagem na turma, ter essa alternativa de mudar a abordagem é fundamental para recuperar qualquer prejuízo educacional.

Multidisciplinaridade

Dificilmente um projeto poderá ser concluído explorando apenas uma disciplina ou área do conhecimento. Questões de linguagens, sociedade e história, por exemplo, costumam aparecer em qualquer tipo de trabalho, inclusive os de matemática, física e química — não à toa os grandes cientistas e matemáticos eram também filósofos da sua época. Sendo assim, a pedagogia de projetos tem como sua principal aliada a multidisciplinaridade.

Com este recurso, a quantidade de conhecimentos adquiridos se torna inumerável, mesmo que uma disciplina  seja o foco do trabalho. E, entenda: relacionar as diferentes áreas é a chave para a criação de novas linhas de raciocínio, para instigar a criatividade e para promover uma ampla difusão de informações no ensino básico.

Engajamento

Para o ensino por projetos precisa-se de uma turma engajada e de professores proativos na proposta de ideias e estudos. Afinal, os alunos exercem um papel muito ativo com essa metodologia, deixando em segundo plano o modelo de aula monótono no qual somente os educadores interagem na maior parte do tempo.

E para conseguir o engajamento dos pequenos, existem diversas sugestões, como as dinâmicas educativas que dão a chance da criançada aprender brincando e treinar as funções executivas enquanto socializa com os demais colegas de classe. Mas, claro, todas essas atividades precisam ser bem mediadas pelo educador.

Como funciona o ensino por projetos?

Agora você deve estar se perguntando como essa metodologia é colocada em prática com as crianças, acertamos? Na realidade, a estratégia é dividida em etapas, a fim de tornar o processo mais produtivo e estruturado — e, de quebra, dar algumas aulas de organização que serão levadas para o resto da vida. 

Para te explicar melhor, a seguir apresentamos quais são as etapas necessárias para se trabalhar a pedagogia de projetos na educação infantil:

Escolha da temática

Com a intencionalidade do projeto já traçada, o educador deve apresentar um material de apoio para os alunos — que servirá como guia principal para a escolha dos temas de pesquisa. Aqui, em uma roda de conversa, cada estudante ou grupo terá um espaço para expor suas percepções, dar sugestões de temáticas e escolher a sua própria.

Roteiro de trabalho

O roteiro de trabalho consiste basicamente na programação das atividades, estabelecendo um cronograma e definindo datas, ferramentas de pesquisa, referências bibliográficas — se for o caso — e qualquer outro recurso que seja utilizado. É importante que todos esses passos sejam documentos também pelo professor, numa espécie de diário de bordo da pedagogia de projetos.

Produção e acompanhamento

Chegou a hora de colocar a mão na massa e começar a pesquisar e produzir. Toda equipe responsável pelo projeto tem agora o papel de orientar para que o roteiro seja seguido e os objetivos cumpridos de acordo com o encaminhamento das propostas. É nesse momento que o acompanhamento familiar faz toda a diferença e pode, inclusive, impulsionar o andamento do projeto.

Atividades práticas

A pedagogia de projetos inclui também a etapa de visitas pedagógicas, que são as atividades mais práticas e externas. Como estamos tratando da educação infantil, essas visitas podem ser direcionadas a museus, parques recreativos e exposições artísticas e literárias. Contudo, é fundamental que a saída tenha alguma ligação direta com a intencionalidade do projeto.

Relatórios e debates

A produção dos relatórios serve como parâmetro de acompanhamento da evolução da pesquisa e do aprendizado de cada aluno. Por isso, mesmo que o projeto seja em grupo, é interessante que os relatórios sejam individuais. E, para que toda a turma possa vivenciar as diferentes experiências, devem ser agendados debates para compartilhar as novidades.

Evento de culminância

Por fim, o evento de culminância é onde todos os alunos poderão expor o produto do seu projeto, o resultado das pesquisas e dividir com a turma e com o restante da comunidade escolar os aprendizados mais marcantes deste experimento. Para a conclusão, pode ser organizado um sarau, uma exposição ou apenas uma confraternização simples.

Viu só quanta coisa bacana é aproveitada a partir da pedagogia de projetos? Com todos esses benefícios, não faltam motivos para você ficar de olho nas produções especiais da escola dos seus filhotes e incentivá-los a participar da programação completa, sejam elas obrigatórias ou não, combinado?
E, saiba que a Red Balloon traz pontos da pedagogia de projetos para sua metodologia de ensino — que é totalmente adaptada a crianças e jovens de 3 a 17 anos. Ou seja, o seu filho poderá aprender inglês enquanto vivencia experiências únicas com uma programação interativa e planos de aulas práticas que deixam o estudo do idioma divertido e altamente eficiente. Para aproveitar as matrículas abertas, acesse o site agora mesmo e agende uma visita na unidade mais próxima de você.

Compartilhe:

Deixe seu comentário:

Siga nosso instagram!