O que é metodologia ativa e como ela auxilia no aprendizado

>

Albert Einstein afirmou que “educação não é aprendizagem de fatos, mas o treinamento da mente para pensar”. E isso sintetiza bem parte da abordagem trazida pela chamada metodologia ativa de aprendizagem.

Essa metodologia, que tem no construtivismo uma base importante, apresenta um contraponto à postura passiva que, por muito tempo, coube aos alunos em sala de aula. Desse modo, ao invés de uma aprendizagem mecânica e potencialmente dificultosa, temos a possibilidade de uma aprendizagem mais ativa, reflexiva e significativa para o aluno, que desperta seu interesse e sua responsabilidade como elemento central para seu próprio desenvolvimento

Pense por um momento: no ensino convencional, o estudante passa boa parte do período em sala de aula copiando informações ou fazendo anotações rapidamente para não perder nenhum dado transmitido pelo professor. Nesse contexto, seu foco está na tarefa de escrever e não na de aprender, de pensar sobre o que está sendo dito, de analisar tais informações, não é mesmo?

Percebendo descompassos como esses, a metodologia ativa oferece um ambiente e atividades que estão realmente focadas na aprendizagem do aluno. 

Que tal saber mais sobre isso e compreender como a aplicação dessa metodologia pode auxiliar no aprendizado e no desenvolvimento de seu filho? Para isso, continue a leitura do artigo de hoje!

O que é metodologia ativa?

Uma das definições mais utilizadas para metodologia ativa é a feita pelos autores e estudiosos Bonwell e Eison que conceituam essa como as atividades que envolvam os alunos a fazerem ou produzirem algo e a pensarem sobre o que estão fazendo. 

De forma prática, a metodologia ativa – também chamada de método ativo ou de aprendizagem ativa – é aquela que posiciona o aluno como agente de sua própria educação, sendo ele uma parte mais ativa e atuante na sala de aula, de modo crítico e reflexivo, assumindo a co-responsabilidade por seu aprendizado.

Isso quer dizer que enquanto nas metodologias convencionais a transmissão unilateral de informações é priorizada e representada pela figura central e, por vezes, impositiva do professor, na metodologia ativa, em contraponto, os alunos é que ocupam essa centralidade – afinal, o objetivo da ação educativa é o aprendizado do estudante, certo?

É importante ressaltar que isso não elimina a necessidade da presença de um professor em sala de aula nem reduz sua importância. Pelo contrário. Ao se adotar tal abordagem, o professor passa a atuar de modo muito mais estratégico, pensante, motivador e, claro, mais ativo do que antes. Ele age como um facilitador e mediador entre o estudante e seu conhecimento. Ainda, ele ajuda a estimular a curiosidade e o engajamento do aluno para pesquisar, ponderar, argumentar, negociar, levantar hipóteses, fazer suposições e analisar soluções para os desafios apresentados, contribuindo para um desenvolvimento mais integral e consistente de seus alunos.

Desse modo, o estudante deixa a posição de agente passivo, que recebe uma grande quantidade de dados fragmentados e prontos para serem decorados e, muitas vezes, sem espaço adequado para manifestar-se crítica e criativamente, e passa a assumir a centralidade no seu aprendizado, conquistando autonomia para desenvolver-se como aluno e como cidadão atuante, conseguindo ver a utilidade e a pertinência do que está aprendendo para sua vida, já que esse conhecimento é construído de modo contextualizado e articulado com a realidade do aluno. 

Para isso, o estudante é estimulado a:

  • Demonstrar um processo.
  • Analisar um argumento.
  • Fazer experiências.
  • Aplicar conceitos a situações do mundo real.
  • Produzir algo.
  • Envolver-se na solução de problemas.
  • Realizar pesquisas e apresentar resultados.
  • Discutir conceitos com colegas.
  • Realizar simulações e testar hipóteses.
  • Participar de debates.
  • Criar vídeos e outros formatos de conteúdo.
  • Fazer viagens de campo reais ou virtuais.
  • Trabalhar de modo colaborativo. 

Por que a metodologia ativa é tão relevante hoje?

Nos últimos anos, as mudanças sociais, econômicas, políticas, culturais e tecnológicas se intensificaram. Muita coisa mudou e passou a exercer um impacto diferente na vida das pessoas em relação à sua moradia, forma de trabalho e, também, de ensinar e aprender. Historicamente, a educação no país é apontada como apresentando pontos de defasagem, que contribuem para a alta de índices como evasão escolar, desinteresse dos alunos, analfabetismo funcional, entre outros.

Nesse contexto, a metodologia ativa mostra-se bastante relevante. Ela contribui para essa tão desejada modernização da sala de aula, para a ressignificação do ato de ensino e a valorização e motivação do aluno como protagonista de seu desenvolvimento.

Não é à toa que diversas instituições e até mesmo a mídia estão reconhecendo o potencial e a relevância da metodologia ativa. A Forbes, por exemplo, elencou essa como a principal tendência de aprendizado.

Quais são as principais vantagens dessa metodologia?

De acordo com estudos sobre abordagens da educação centradas na aprendizagem, os alunos aprendem mais quando participam, de fato, de seu processo de aprendizagem. Ainda, essa metodologia incentiva o cérebro a ativar redes cognitivas e sensoriais, o que ajuda no processamento e no armazenamento das novas informações.

Conforme especialistas, a aprendizagem é aprimorada quando várias vias neurais são ativadas ao mesmo tempo. Em termos simples, quanto mais o cérebro dos alunos for ativado de maneiras diferentes, mais eles devem aprender. Isso significa que o envolvimento de tantos processos sensoriais, cognitivos, emocionais e sociais nos estudantes expostos a essa abordagem tende a aumentar seu potencial de aprendizado.

Além disso, os efeitos positivos da aplicação da metodologia ativa em sala de aula são variados e consistentes, abrangendo também desenvolvimento de habilidades pessoais dos jovens. Entre eles, podemos destacar:

  • Ajuda a elevar a motivação e o engajamento do aluno com seu aprendizado. Isso porque os estudantes que estão aprendendo ativamente estão, também, ativamente envolvidos. Seja resolvendo um problema, debatendo uma questão ou pesquisando um conceito, eles estão processando ideias e forjando um entendimento mais aprofundado e relevante.
  • Fomenta o sentimento de pertencimento do aluno na comunidade escolar e em sua própria comunidade.
  • Eleva a autoconfiança do estudante.
  • Ajuda a desenvolver a criatividade, o senso crítico, o pensamento independente e a metacognição do aluno.
  • Estimula as trocas entre os estudantes, ajudando-os a desenvolverem habilidades como trabalhar em conjunto, comunicação, negociação e conciliação.
  • Promove um aprendizado mais consistente e experiencial, já que o jovem não está apenas decorando informações para “passar na prova”, mas para ser aplicada em sua vida.
  • Desenvolve habilidades colaborativas e socioemocionais dos alunos, cada vez mais importantes para o convívio social e para o mercado de trabalho.
  • Promove mais inclusão, já que alunos com diferentes estilos de aprendizado obtêm uma experiência personalizada conforme seu perfil.
  • Aumenta a capacidade do jovem de resolver problemas e criar soluções.
  • De acordo com estudo, os alunos lembram de cerca de 10% do que leem, 20% do que ouvem e de 90% do que fazem. E as aulas embasadas nessa proposta, como é de se imaginar, são mais ativas, demandando a aplicação de ideias, o desenvolvimento de projetos colaborativos, etc., fazendo os alunos colocarem a mão na massa e, dessa forma, acelerarem e tornarem sólido seu aprendizado.
  • Ajuda o jovem em exames importantes. Provas, como as para a obtenção dos certificados Cambridge, por exemplo, demandam habilidades de interpretação, estabelecimento de relações e hipóteses, entre outras, que são trabalhadas enfaticamente com a metodologia ativa.

Como a metodologia ativa é utilizada no ensino-aprendizagem de crianças?

A metodologia ativa possui um repertório vasto de recursos que auxiliam na criação de situações de ensino que promovam uma aproximação crítica e reflexiva do estudante com a realidade. Isso é feito, por exemplo, por meio de desafios, criação de hipóteses, análises, sínteses, deduções, etc., que levam o jovem a questionar, discutir, refletir, cocriar, comparar, deduzir e não apenas ouvir informações e copiá-las em seu caderno.

Desse modo, ela conta com abordagens que focam mais no desenvolvimento das habilidades dos alunos do que na transmissão de informações e exigem que os estudantes façam algo – saindo da passividade – que exija pensamento crítico e criativo. Ainda, as atividades propostas também tendem a enfatizar as explorações de estudantes, tangibilizando conceitos e trazendo-os para aplicações práticas. 

Conheça, a seguir, algumas das atividades comuns na escola que adota tal metodologia:

  • Exercícios baseados em casos para solução de problemas: esse tipo de atividade ajuda os estudantes a desenvolverem habilidades analíticas e a aprenderem a aplicar teorias a problemas do mundo real. 
  • Jogos: atividades baseadas em jogos analógicos ou digitais ajudam a desenvolver senso de colaboração, a seguir regras, a manter uma competição apenas em nível saudável, entre outras.
  • Debate: essa é outra técnica de aprendizado ativo que ajuda a desenvolver habilidades de pensamento crítico e raciocínio lógico. 
  • Discussões em pequenos grupos: essas atividades ajudam os alunos a entenderem e a reterem as informações, a ajudarem seus colegas a compreenderem o conteúdo e a desenvolver suas habilidades de comunicação.
  • Mapas conceituais: além de ajudar na compreensão das informações, por ser uma ferramenta mais visual, os mapas conceituais ajudam a aprimorar a capacidade de síntese e de criar conexões e relações causais.
  • Tomada de decisão: essas atividades são altamente envolventes e mobilizam uma série de habilidades dos alunos, incluindo foco, capacidade analítica, negociação, entre outras.
  • Aprendizagem baseada em projetos: as atividades focadas no “aprender fazendo” e na Cultura Maker (mão na massa) fomentam a capacidade resolutiva, construtiva e criativa dos estudantes.

A metodologia ativa no ensino de inglês na Red Balloon

Na Red Balloon, aplicamos metodologias de ensino-aprendizagem modernas e comprovadamente eficientes para desenvolver os alunos de modo mais integral. Assim, além de aprender bem inglês, os jovens também desenvolvem outras capacidades importantes para tornarem-se cidadãos ativos e prepararem-se para o competitivo mercado de trabalho. 

Com isso, em nossas aulas, os estudantes não são meramente ouvintes passivos, mas participantes ativos de seu desenvolvimento. E isso é possibilitado por meio da adoção de abordagens como a Cultura Maker (mão na massa), associada à abordagem interdisciplinar STEAM (que mobiliza diversas áreas do conhecimento para preparar o estudante para criar soluções de problemas no mundo real). 

Promovemos uma série de atividades, eventos e desafios dentro e fora de sala de aula que tornam o aprendizado de inglês divertido, contextualizado e interessante para os alunos. Assim, eles aprendem inglês na prática, o que ajuda a acelerar seu desenvolvimento e torna-o mais consistente. 

Nosso intuito com isso é ajudar a desenvolver de modo mais abrangente nossos alunos, estimulando conhecimento e habilidades que serão úteis e relevantes muito além da sala de aula.

E então, o que você achou da metodologia ativa de aprendizado? Ficou com alguma dúvida sobre o tema? Deixe sua mensagem nos comentários e continue acompanhando o blog da Red Balloon para descobrir mais sobre outras novidades importantes da área da educação.

Compartilhe:

Deixe seu comentário:

2 comentários

  • Maria Angela

    31.12.2019

    A metodologia ativa realmente é ótima pois o aluno tem que se envolver com conteudo proposto.É o aluno que busca o que vai aprender,através da motivação que lhe foi dado.ele pesquisa, sintetiza ,analisa ,elaborando o seu intelecto.

  • Maria Angela

    31.12.2019

    Énfim é um ótimo método.

  • Siga nosso instagram!