Leitura colaborativa: qual é o seu papel na educação?

>

Você já ouviu falar em leitura colaborativa? Se a resposta for não, saiba que essa prática é uma das mais utilizadas durante a educação infantil e pode ajudar muito no processo de aprendizado das crianças dentro e fora de casa. 

A alfabetização das crianças vai muito além de ensinar a junção e a pronúncia de sílabas: ela faz com que os menores sejam capazes de compreender o real sentido das frases. Assim, a leitura colaborativa é uma ótima estratégia para desenvolver o ato de ler de forma fluida e clara, sendo também uma maneira de estimular a compreensão do conteúdo consumido de forma didática e interativa. Quer combinação melhor?

Por isso, pensando nos benefícios dessa atividade no ensino dos pequenos, a Red Balloon preparou um guia completo com tudo sobre o assunto, além de uma série de dicas imperdíveis que vão facilitar a leitura em família. Vamos lá?

O que é leitura colaborativa?

Embora o termo possa parecer novo, a leitura colaborativa faz parte de práticas pedagógicas há muitos anos — e é provável que você mesmo tenha vivenciado tal atividade durante seus primeiros anos na educação básica. Em resumo, trata-se daquela famosa leitura compartilhada de um determinado texto, realizada pela turma ou por grupo menor de estudantes e mediada pelo professor.

E uma característica extremamente importante da leitura colaborativa é a troca de ideias e a atribuição de significado ao conteúdo lido. Por isso, não é incomum que seu filho leve para casa atividades simples sobre um texto, como perguntas que envolvam o nome dos personagens e qual é o diálogo entre os mesmos.

Essas respostas básicas podem ser encontradas rapidamente no texto e, apesar destes exercícios parecerem fáceis, são responsáveis por desenvolver a habilidade de interpretar textos e até mesmo melhorar a escrita.

Vale explicar que a maioria das perguntas dessas lições já foram respondidas em sala de aula durante a leitura compartilhada.entre a turma. Assim, na tarefa de casa a criança precisa apenas recapitular o processo de compreensão do que ela havia aprendido com o auxílio dos demais colegas e com a orientação do professor. 

Ah, e saiba que tais questões tendem a ficar mais complexas de acordo com a idade e o ano escolar em que seu filho está matriculado.

4 benefícios da leitura compartilhada

A leitura colaborativa exige paciência e bastante técnica para conseguir alcançar os resultados previstos pela metodologia pedagógica — que vamos explicar com calma no decorrer deste guia. 

Entretanto, são inúmeros os benefícios que podem ser conquistados realizando a leitura compartilhada, e por isso elencamos alguns deles para que você veja como vale a pena estender essa prática também para as atividades em casa:

Destaca a importância da leitura

Sabemos que o hábito de ler é fundamental para a formação de pessoas bem informadas, certo? E durante a infância e a adolescência, os livros, os contos e os textos também são ótimos para o desenvolvimento intelectual. 

Assim, dar um espaço especial para a leitura compartilhada desperta o interesse das crianças e destaca a importância de saber ler e interpretar as milhares de palavras que nos cercam diariamente.

Impulsiona a compreensão e raciocínio

Como mencionamos acima, ler é importante para o desenvolvimento intelectual. Porém, em uma leitura individual é frequente que vários detalhes e percepções passem sem serem notados pelo leitor.

É aqui que a leitura compartilhada ganha pontos, pois com ela cada aluno pode expor as ideias que chamaram sua atenção, fazendo com que os demais colegas sintam-se estimulados a buscarem novos detalhes escondidos no texto e explorarem o raciocínio além do conteúdo superficial.

Torna as aulas mais dinâmicas

Por exigir grande concentração dos pequenos em uma atividade que é estática, a fase de alfabetização pode ser uma das mais desafiadoras — afinal, o menor precisa ficar sentadinho de frente para um livro e um caderno sem nenhum brinquedo. 

No entanto, a leitura colaborativa é dinâmica e promove a interação entre a criança e os colegas — e até mesmo com os pais e os irmãos, no caso da leitura em família —, o que facilita esse processo de fixar a atenção do seu filhote nas palavrinhas lidas.

Melhora a capacidade de leitura

E claro, um dos principais objetivos da leitura compartilhada é fazer com que a garotada consiga atingir um ritmo compreensivo e regular na hora de ler. Essa prática é essencial para que a criança acompanhe a fluência de leitura desejada para a sua idade e, posteriormente, consiga ler individualmente em voz alta e em silêncio de maneira uniforme e sem dificuldades para compreender o sentido das frases que estão sendo pronunciadas.

O papel da leitura colaborativa na educação infantil

Já deu para notar que a leitura colaborativa possui um papel extremamente importante na alfabetização correta do seu filho, não é mesmo? Mas é preciso ter em mente que todo esse processo exige estratégia e uma mediação adequada — afinal, a leitura compartilhada feita por crianças precisa ser guiada para que se chegue aos resultados planejados.

Além disso, fazer os pequenos criarem o hábito de ler pode ser uma tarefa difícil quando não se dispõe dos recursos recomendados. No entanto, a leitura colaborativa ajuda a ampliar a visão que um aluno tem de determinado conteúdo e até mesmo provocar a sua imaginação e interesse pelo texto. Ou seja, os ganhos são muitos..

A importância do compartilhamento no ensino das crianças

Segundo Antoni Zabala, renomado pedagogo espanhol, a estrutura cognitiva humana é composta por esquemas de conhecimentos que ao longo da vida são revisados e modificados para se tornarem mais complexos e adaptados à realidade vivenciada.

O pedagogo afirma ainda que, para que haja um aprendizado significativo dentro destes esquemas, é necessário que tais conhecimentos sejam partilhados, comparados e reintegrados com coerência.

É seguindo esses conceitos que a metodologia da leitura colaborativa foi fundada, facilitando o processo da alfabetização e tornando-o mais complexo de acordo com o desenvolvimento cognitivo.

Bom, agora que você já está por dentro do assunto, que tal aprender como alcançar os objetivos da leitura compartilhada com o seu filho por meio das estratégias metodológicas? É isso o que vamos explicar a seguir.

A estratégia de leitura colaborativa em 5 fases

Apesar da teoria parecer um pouco complexa, as estratégias metodológicas utilizadas durante a leitura colaborativa são muito práticas e simples de exercer, ainda que exijam bastante dedicação do mediador e comprometimento da criança. 

Abaixo falaremos sobre uma das estratégias de leitura compartilhada mais utilizadas dentro das escolas, dividida em 5 fases para você entender melhor como funciona. Olha só: 

Compreensão do conteúdo principal

Após a primeira leitura, o grupo deve identificar uma série de sentenças que traduzam o conteúdo principal do texto, como o tema central abordado pelo autor e quem são os personagens, por exemplo. 

Essa etapa da leitura compartilhada explora superficialmente as informações lidas e é capaz de provocar inúmeras descobertas no raciocínio dos pequenos.

Fichamento das ideias apresentadas

Fazer anotações sobre o que acontece na história é uma forma de fixar o conhecimento, e na leitura colaborativa esse processo é ainda mais importante para ser possível identificar os fatos secundários do texto — ou seja, aqueles que às vezes passam despercebidos — e assim diferenciá-los da ideia central que foi abordada no tópico anterior.

Conclusões críticas dos elementos-chaves

Os elementos-chaves são caracterizados pelas principais ações de um texto e é válido que a criança possa dar o seu próprio palpite sobre o que foi lido. 

Esse passo dessa estratégia ajuda na formação do senso crítico. Portanto, o mediador deve fazer os esclarecimentos adequados sobre o conteúdo, mas não interferir diretamente na opinião do pequeno em relação ao texto.

Compreensão do objetivo do texto

A escolha de palavras, imagens, expressões e figuras de linguagem dizem muito sobre a mensagem que o autor deseja passar. Assim, no final da leitura compartilhada os pequenos devem ter clareza sobre a motivação do autor em cada uma dessas escolhas. Vale frisar que essa é a etapa que ajudará o mediador a saber se de fato houve aprendizado e interpretação da obra.

Resumo do texto trabalhado

O resumo feito pelo aluno deve colocar no papel todas as considerações das fases anteriores, de acordo com as reflexões feitas em grupo. Ler o próprio resumo é crucial para que a criança se certifique de que suas ideias estão organizadas de maneira lógica e dando sentido ao que foi discutido, pois isso garantirá um resultado concreto do que foi trabalhado.

4 dicas para praticar a leitura em família

Em situações que as crianças precisam ficar em casa, muitos pais vivenciam o desafio de auxiliar nas tarefas escolares. A boa notícia é que ainda que você não tenha a desenvoltura de um profissional da educação, é possível praticar a leitura colaborativa nos estudos domiciliares.

E como o ambiente familiar é extremamente distinto para a criança em relação aos recursos utilizados em sala de aula, é fundamental que os papais e mamães se empenhem em adaptar o que for necessário para conseguir utilizar a leitura em família e as técnicas de compartilhamento a favor da alfabetização dos pequenos em casa. 

Gostou e quer saber como aderir essa prática no seu lar? Então, confira abaixo 5 dicas que lhe ajudarão neste processo:

Leia o texto individualmente com antecedência

Se você fará o papel de mediador(a) da leitura em família, é importante que tenha domínio sobre o texto escolhido. Para isso, leia o material com antecedência e tire suas próprias conclusões, fazendo resumos sobre a obra lida para só então sentar e realizar a atividade com seu filhote.

Faça da leitura em família uma diversão

Se vocês estão em casa, aproveite o momento para gerar boas lembranças no imaginário dos pequenos. Escolha textos leves, capriche na entonação da voz e utilize mímicas — ou mesmo encenações — enquanto realiza a leitura em família, pois estes toques especiais fazem toda a diferença para prender a atenção dos leitores mirins.

Discuta o texto ao longo do dia

Especialmente com os menorzinhos e que ainda estão na pré-escola, o texto pode ser trabalhado de forma mais suave ao longo do dia. Faça a criança pensar sobre os personagens, pergunte se ela recorda de detalhes da história e retorne ao texto quando for necessário recapitular alguma informação..

Respeite o ritmo dos pequenos

Em algumas turmas, a leitura compartilhada pode durar dias e até semanas, e em casa não é diferente. Por isso, gaste o tempo que for necessário para ter certeza que o pequeno realmente está fixando o aprendizado, mas lembre-se sempre que a leitura em família deve ser prazerosa e não exaustiva.

Para finalizar e concluir este guia, a dica de ouro é que você — como pai, mãe ou responsável — esteja alinhado(a) com os professores na alfabetização dos pequenos. Assim fica muito mais fácil alcançar os objetivos da leitura colaborativa e seguir uma mesma estratégia — mesmo que adaptada para o ambiente familiar — na hora de aderir a prática também em casa. O resultado? Um aprendizado e desenvolvimento intelectual ainda mais rápido, linear e orgânico.

Gostou de aprender sobre o que é leitura colaborativa? Conte-nos suas impressões nos comentários!

Compartilhe:

Deixe seu comentário:

Siga nosso instagram!