Habilidades socioemocionais: como auxiliam o desenvolvimento?

>

As habilidades socioemocionais cuprem um papel fundamental na vida adulta, mas para isso precisam começar a ser trabalhadas já nos primeiros anos do desenvolvimento infantil. Se você ainda não está por dentro do assunto, fique tranquila(o), pois a Red Balloon preparou um manual completo sobre inteligência socioemocional e como ela deve ser introduzida na educação das crianças por meio de habilidades e valores.

Antes de mais nada, é importante destacar que ao longo da vida precisamos aprender a lidar com nossos próprios sentimentos, além de sabermos conviver em sociedade de forma harmoniosa, uma vez que ambos os aspectos estão diretamente ligados e interferem um no outro por meio das chamadas competências ou habilidades socioemocionais. Mas afinal, quais são habilidades socioemocionais e qual a importância de cada uma? Continue a leitura para saber em detalhes.

O que são habilidades socioemocionais?

Habilidades socioemocionais são pilares fundamentais desenvolvidos por todos os seres humanos que vivem em sociedade e que formam a inteligência socioemocional. Em outras palavras, habilidade socioemocional é a capacidade de se relacionar com outros indivíduos e superar desafios de maneira saudável e equilibrada.

No que se refere a aptidão de estabelecer relações interpessoais, as habilidades socioemocionais bem desenvolvidas facilitam a resolução de conflitos, elevam o respeito ao próximo e tornam a convivência muito mais amigável, tanto no ambiente profissional quanto familiar, refletindo também no próprio bem-estar e na autoestima do cidadão.

Afinal, a capacidade de se ter controle sobre as próprias emoções — como é o caso da autoestima — é uma habilidade socioemocional de ação interna e que deve ser trabalhada para que situações adversas externas não prejudiquem o seu temperamento, tampouco suas atitudes, decisões e demais comportamentos em relação à sociedade. Portanto, a educação socioemocional deve atuar em todas as competências como um todo.

Quais competências formam a inteligência socioemocional?

Embora sejam trabalhadas em sua totalidade, as habilidades socioemocionais devem ser estudadas separadamente para um melhor entendimento da função de cada uma delas. As competências são inúmeras, no entanto quatro delas se destacam e servem de base para todo o processo de educação socioemocional desenvolvido na infância. Veja quais são elas:

Autoconhecimento

O autoconhecimento leva ao domínio de si, seja aprendendo a respeitar os limites físicos do corpo e assim preservar a própria saúde, seja controlando emoções e sentimentos para manter o foco e a disciplina em um objetivo. Além disso, é a partir do autoconhecimento que todas as outras habilidades socioemocionais podem ser desenvolvidas com muito mais êxito.

Empatia

Saber se colocar no lugar do próximo e compreender as situações vividas pelo outro é uma qualidade primordial para promover a solidariedade e evitar conflitos em qualquer ambiente de convívio social. Desta forma, a empatia se torna uma das competências mais trabalhadas na educação socioemocional e tem por objetivo tornar as relações mais justas e harmônicas.

Cooperação

Apesar da individualidade presente em cada ser humano, a disposição para formar grupos e trabalhar em equipe é uma das habilidades socioemocionais que nos torna sociáveis e permite que pessoas possam trabalhar juntas em busca de um mesmo propósito. A cooperação pode ser responsável por tornar as tarefas do dia a dia muito mais leves e encurtar o caminho para o alcance de metas, sejam pessoais ou coletivas.

Resiliência

A resiliência é uma das competências mais desejadas quando se trabalha a inteligência socioemocional, uma vez que ela é capaz de aumentar a resistência dos indivíduos aos momentos de crise e situações indesejadas. Juntamente com o autoconhecimento, a resiliência dá maior controle sobre as próprias emoções e eleva os sentimentos de persistência e determinação.

6 motivos para trabalhar as habilidades socioemocionais na infância

Ainda que as habilidades socioemocionais nasçam conosco, elas devem ser estimuladas, pois da mesma forma que necessitamos de ajuda para aprender a falar, escrever e desenvolver outras atividades cognitivas, a inteligência socioemocional também precisa ser aprimorada para que seus benefícios se manifestem logo na infância.

A facilidade de aprender e fixar conhecimentos existentes durante a infância são ideais para introduzir a educação socioemocional e firmar esse pilar como imprescindível para uma vida saudável, amigável e produtiva. Por isso, o quanto antes for dada a devida atenção para as habilidades, mais vantagens podem ser aproveitadas e melhores resultados obtidos.

Confira abaixo alguns dos benefícios das habilidades socioemocionais para as crianças e que são um diferencial para torná-las adultos bem sucedidos e emocionalmente estáveis:

Mais controle sobre medos e limites

Durante a infância é comum que muitos medos irracionais tomem conta dos pensamentos das crianças, gerando vários traumas difíceis de serem superados mesmo na vida adulta. Este problema pode causar, inclusive, outros transtornos psicológicos e prejudicar seriamente a qualidade de vida e bem-estar do indivíduo.

Com a inteligência socioemocional bem desenvolvida por meio do autoconhecimento, a criança pode aprender quais são seus limites reais e superar a aversão a situações cotidianas que a impedem de progredir, como o medo de falar em público ou a ansiedade antes de provas e eventos importantes, por exemplo.

Aumento da perseverança e disciplina

Após vencer seus principais medos, o pequeno pode perceber que é capaz de alcançar qualquer objetivo que desejar, independentemente dos obstáculos. Na fase adulta essa habilidade socioemocional associa-se diretamente ao poder de se manter firme no seu propósito mesmo diante dos problemas e dificuldades que surjam no percurso.

Dessa forma, os menores ficam muito mais determinados em traçar metas e fazer tudo o que for necessário para alcançá-las exatamente da maneira que planejaram e dificilmente desistirão do seu ideal. Ah, e vale lembrar que essa é uma característica muito presente em personalidades de sucesso e pessoas bem realizadas profissionalmente.

Fortalecimento da autoestima

O poder do autoconhecimento é um grande aliado para a saúde mental e, mais especificamente, para a autoestima. Afinal, a criança que conhece a si mesma e sabe das suas qualidades e do seu potencial de conquistar os sonhos lida muito melhor com críticas e opiniões sem relevância.

Ou seja, um adulto que construiu sua autoestima de maneira saudável por meio das habilidades socioemocionais na infância compreende que comentários não construtivos não dizem nada a respeito do seu verdadeiro eu e muito menos se abala com perdas e momentos de fragilidade.

Diminuição de preconceitos e intolerância

Por meio da empatia a criança conhece as diferenças e particularidades de cada pessoa e aprende, sobretudo, a respeitá-las e valorizá-las. Portanto, pode-se dizer que perguntas invasivas, comentários preconceituosos e atitudes exclusivas ficam fora do comportamento de infâncias com uma educação socioemocional.

Sendo assim, as habilidades socioemocionais cumprem ao mesmo tempo a função de fortalecer a autoestima dos pequenos e de diminuir a incidência de casos de bullying, de discriminação e de diversos preconceitos que geram grandes problemas sociais. Ou seja, teremos adultos mais seguros de si e menos intolerantes com o próximo.

Construção de relações saudáveis

Sabendo respeitar as diferenças e os direitos de outros seres humanos, todas as relações interpessoais tendem a ser mais sinceras, amigáveis e duradouras.  E manter essas relações fortes — especialmente na escola e com os coleguinhas e os familiares — melhora significativamente a confiança dos pequenos, além de elevar a qualidade de vida e sensação de bem-estar na presença de amigos.

Para os adultos, usar as habilidades socioemocionais para construir relacionamentos saudáveis é uma ótima forma de se manter distante de momentos de estresse e conflitos desnecessários — ocasiões que prejudicam seriamente as emoções e afetam a disposição e o ânimo para cumprir as obrigações diárias.

Disposição para liderança

O espírito de liderança é fundamental não apenas para quem quer gerir grupos de pessoas, como também para saber administrar corretamente o rumo dos seus objetivos e sonhos. Em outras palavras, a competência de liderar a própria vida também pode ser impulsionada por todos os benefícios já citados, bem como pelas habilidades socioemocionais de empatia, de cooperação, de autoconhecimento e de resiliência.

A educação socioemocional ensina as crianças a definirem quais são suas prioridades, o que precisam enfrentar para alcançar seus propósitos e como conviver com os demais sem prejudicar o bem-estar de nenhum dos lados. Quer coisa melhor?

Como funciona a educação socioemocional?

As habilidades socioemocionais já são levadas em consideração pela pedagogia há muitos anos, porém, somente no final dos anos 90 começaram a ser trabalhadas de forma mais intensiva e direta dentro dos currículos escolares. Isso quer dizer que hoje, as melhores instituições de ensino investem visivelmente em educação socioemocional.

Os primeiros estímulos das habilidades socioemocionais costumam ocorrer em casa, com atitudes e hábitos adotados pelos pais — que são os maiores exemplos de comportamento durante a infância. Por outro lado, o incentivo proveniente de escolas e profissionais instruídos para essa função conseguem provocar um avanço muito mais rápido e uma fixação ainda maior dos conceitos empregados.

Assim, enquanto os adultos dispõem de um infinito catálogo de cursos de aperfeiçoamento pessoal, os pequenos podem trabalhar essas competências diretamente na sala de aula, com matérias interdisciplinares e conteúdos extracurriculares. Além disso, é cada vez mais comum que cursos de idiomas para crianças e de esportes também desenvolvam as habilidades socioemocionais dos alunos dentro de sua grade.

A educação socioemocional na prática

Vale lembrar que, ainda que os quatro pilares usados como base sejam praticamente os mesmos, cada instituição ou profissional tem o seu método de desenvolver as habilidades socioemocionais na infância, uma vez que cada criança possui personalidade e necessidade diferente. Por isso, não é possível afirmar que exista um único padrão correto de estímulo da inteligência socioemocional dos pequenos, mas é fato que precisa ser inserida na vida dos pequenos independentemente da técnica usada 

Para concluir, reforçamos que as habilidades socioemocionais devem ser aprimoradas diariamente e em todas idade. No entanto, quando trabalhadas na infância, a chance de se ter um adulto feliz, bem sucedido, solidário e formador de uma sociedade mais equilibrada são muito superiores. Ah, e lembre-se que o ambiente familiar é o primeiro passo para dar início ao desenvolvimento das competências, mas contar com o auxílios de profissionais qualificados é essencial para ter resultados ainda mais positivos.

A Red Balloon, por exemplo, é uma escola de inglês que preza totalmente pelo aprendizado e avanço constantes do seu filho. Por isso, além de utilizar as melhores metodologias para ensinar idiomas para crianças e adolescentes, exercita as habilidades socioemocionais de cada aluno com atividades lúdicas e práticas.

Se interessou e quer saber mais? Então, clique aqui para encontrar nossa unidade mais próxima a você!

Compartilhe:

Deixe seu comentário:

Siga nosso instagram!