Design Thinking na educação: o que é e como funciona

>

O design thinking para crianças tem trazido grandes resultados na aprendizagem infantil e promete ser uma das maiores tendências da pedagogia nos próximos anos. Mas e você, sabe o que é e como funciona o design thinking na educação? 

Se a resposta for não, fique tranquila(o), pois o time da Red Balloon preparou um guia completo com tudo o que você precisa saber sobre o assunto e os principais benefícios de aderir esse conceito no ensino dos pequenos.

Em resumo prático, o design thinking consiste em uma série de processos que visam facilitar o pensamento, o planejamento e o desempenho de determinados projetos, uma estratégia muito utilizada no meio empresarial que já migrou também para outras áreas, como a escolar, por exemplo. Mas na prática, como o design thinking para crianças pode ajudar na educação? É isso e muito mais o que você descobrirá a seguir! Vamos lá?

O conceito de design thinking em 5 etapas

Quando Tim Brown, CEO de uma das maiores companhias de design do mundo, percebeu que as diferentes maneiras que seus funcionários utilizavam para estudar um problema e buscar suas soluções poderiam ser aplicadas a outros campos, um novo conceito de pensamento surgiu dentro da empresa e modificou a forma como todos colaboradores se relacionavam com os desafios diários de seus ofícios.

De modo geral o conceito de Brown traz um conjunto de processos formados por ideias e informações que tem como finalidade alcançar determinado objetivo ou solucionar um problema. 

Esses processos podem ser divididos em cinco etapas que precisam ser compreendidas com clareza antes de se adotar o design thinking na educação e em qualquer âmbito da vida. Por isso, confira abaixo quais são esses pontos e em que consiste cada um deles:

Empatia

Antes de estabelecer um plano para alcançar determinada meta, deve-se exercer a empatia para descobrir quais as possíveis problemáticas de tal objetivo e a quem as soluções propostas podem favorecer. 

Vale ressaltar que o ponto da empatia é extremamente variável, uma vez que os problemas a serem compreendidos são 100% mutáveis de acordo com o campo de trabalho e/ou estudo de uma equipe.

Definição

Após analisar as problemáticas do objetivo em questão, é necessário definir qual a oportunidade principal que tal solução trará a ser aplicada. Essa etapa do design thinking na educação refere-se basicamente ao processo da descoberta de como transformar um desafio em uma oportunidade favorável de aprendizado e crescimento.

Ideação

Em muitas estratégias de design thinking, a etapa de ideação pode ser chamada de “brainstorming”, pois trata-se da elaboração de ideias e propostas que possam encontrar a solução ou avanço do desafio identificado na etapa anterior. 

A ideação é um dos momentos mais longos do design thinking na educação, já que todas as sugestões precisam ser listadas e analisadas para posteriormente classificar o que realmente será testado ou não.

Prototipação

A prototipação é a fase de testes do conceito de Brown. Nela as ideias escolhidas serão colocadas em prática e observadas por completo. A prototipação pode envolver não apenas uma solução, mas várias e, inclusive, resultar em uma nova ideia da junção de todas as outras testadas. Em resumo, o objetivo aqui é chegar na melhor resolução para o desafio em questão.

Validação

A etapa de validação deve checar a funcionalidade da solução proposta e avaliar como foi a experiência vivenciada pelo grupo escolhido para ser beneficiado lá na primeira etapa do processo. Assim, a validação do design thinking na educação deve estar essencialmente ligada ao retorno e melhoria do aprendizado dos favorecidos para que realmente seja possível ter resultados concretos na estratégia de ensino adotada.

Principais benefícios do design thinking

A metodologia desenvolvida por Tim Brown precisa ser bem estudada, elaborada e examinada para que se possa atingir os objetivos, sejam eles referentes ao ensino infantil ou não. Contudo, os benefícios que essa estratégia traz para alunos e praticantes do método são extremamente compensadores.

E tanto para o design thinking na educação quanto para as outros campos de trabalho, as vantagens são inúmeras. Mas, para facilitar o seu entendimento, selecionarmos os cinco ganhos comuns a todas as áreas e lhe mostraremos como esses processos podem influenciar no aproveitamento do dia e a dia e aprimorar o desenvolvimento do raciocínio em qualquer idade. Olha só:

Otimiza o tempo

Uma vez que os processos selecionam as atividades por parte e delimitam um horário adequado para o estudo e o aprimoramento de cada uma delas, não resta tempo para procrastinar a tarefa e tampouco desperdiçar os prazos estipulados para a realização do trabalho em questão.

Promove a empatia

Especialmente quando falamos de design thinking na educação, possibilitamos que as aulas e as estratégias de ensino sejam pensadas para simplificar o entendimento de um grupo como um todo, mas sempre respeitando as diferenças e limitações dos integrantes em geral — proporcionando assim oportunidades de aprendizados acessíveis a todos.

Melhora a criatividade

A valorização do pensamento é uma forte aliada do desenvolvimento cognitivo. Com o design thinking na educação, uma das habilidades que evidencia esse ponto é a criatividade. Ter a chance de inovar, discutir estratégias diferentes e explorar as alternativas viáveis é o caminho ideal para quebrar a rotina e fazer todos os colaboradores e pessoas se envolverem para criar soluções revolucionárias e originais.

Propicia investimentos mais seguros

No quesito empresarial, o conceito de Tim Brown possibilita que as companhias projetem investimentos com mais segurança de retorno, já que as estratégias são elaboradas de acordo com vários cenários prováveis, sempre viabilizando saídas realistas e lucrativas. Ah, e o mesmo pode-se dizer das metas de ensino propostas pelo design thinking na educação.

Facilita a solução de problemas

Com a ampliação do pensamento e da oportunidade de avaliar diferentes ideias para solucionar uma mesma problemática, o design thinking permite que as respostas possam ser encontradas com muito mais facilidade. Além disso, uma solução aplicada em um desafio pode ainda ser a chave para desvendar outros obstáculos enfrentados pelo mesmo grupo ou semelhantes.

Como funciona o design thinking na educação

O design thinking na educação apresenta diferentes métodos que adequam-se ao desenvolvimento infantil e facilitam a organização do raciocínio e aprendizado dos pequenos. Assim, o principal recurso desse conceito é estimular a valorização do pensamento lógico e criativo durante o ensino.

Para abordar o design thinking para crianças, as etapas que trabalhamos nos tópicos anteriores serão classificadas em três processos distintos — porém, ainda interligados —, sendo cada um deles focados na descoberta, na ideação e na experimentação. 

A descoberta abrange empatia e definição; a ideação por sua vez abrange a si, mas também parte da definição e prototipação; e a experimentação refere-se a prototipação e a validação.

E a divisão desses três sistemas é uma alternativa para trabalhar o design thinking na educação de forma ainda mais integrada entre o planejamento dos educadores e a prática e aprendizado dos alunos, mas dando prioridade a absorção máxima de informação útil proporcionada em cada um dos processos. 

Para isso, recursos visuais — como organogramas, infográficos e mapas conceituais — são indispensáveis. E não para por aí: já que estamos falando da aplicação do design thinking para crianças, usar ainda elementos com cores, figuras, personagens e atividades dinâmicas pode capturar a concentração dos pequenos com mais facilidade e gerar um engajamento totalmente alinhado com a ideia ou a problemática apresentada.

4 dicas para colocar o design thinking para crianças em prática

Alguns educadores preferem referir-se ao design thinking na educação como aprendizagem investigativa, e apesar de eficaz e embasada, não existe uma receita única para trabalhar esse conceito no ensino dos pequenos. 

No entanto, a pedagogia descobriu alguns passos que podem facilitar a introdução de tais processos na rotina da criançada e fazer pais, alunos e professores se unirem para pensar fora da caixinha na solução dos problemas cotidianos.

Assim, para lhe ajudar a incrementar o design thinking na educação dos seus filhotes, separamos quatro sugestões práticas, fáceis e extremamente funcionais de adotar no dia a dia da família. Confira:

Planeje atividades colaborativas

O design thinking na educação precisa ser exercido em grupo. Por isso, as atividades colaborativas são uma opção divertida de fazer a garotada aprender a trabalhar em conjunto, além de explorar novas ideias e possibilidades pensadas por cabecinhas completamente únicas e autênticas.

Use apps e softwares de organização

A tecnologia é uma das ferramentas mais úteis para usar o design thinking na educação, especialmente os apps de lembretes e organização. Anotar e classificar os pensamentos é uma ótima forma de dar clareza ao raciocínio, e saiba que já existem uma série de softwares programados para auxiliar exatamente essa etapa do conceito elaborado por Brown.

Siga estratégias profissionais

A própria obra de Tim Brown que fala sobre o assunto é um bom guia para entender a fundo o funcionamento das etapas do design thinking na educação e conseguir elaborar estratégias adequadas para o desenvolvimento intelectual da criança. 

E lembre-se sempre de basear suas pesquisas em conteúdos produzidos por profissionais e que contenham informações legítimas.

Conheça as metodologias escolares

E se você vai buscar conhecimento profissional para introduzir o design thinking na educação dos pequenos, procure conhecer também a metodologia adotada pelas escolas — tanto de ensino tradicional quanto de cursos extracurriculares — às quais eles estão matriculados. 

A Red Balloon, por exemplo, é muito mais do que uma escola de idiomas, é uma instituição que utiliza conceitos metodológicos que incentivam a leitura, a compreensão e o pensamento inovador desde os primeiros anos de vida dos alunos matriculados.

E então, gostou da ideia de implementar o design thinking na educação das crianças? Além de todos os benefícios que listamos neste guia e do estímulo do pensamento organizado e lógico que a metodologia traz, esse conceito é responsável por criar futuros profissionais de sucesso e adultos muito mais solidários e bem resolvidos. Logo, não dá para deixar de experimentar essas estratégias no dia a dia da sua família também, não é mesmo?

Ah, e se você se interessou pela linha de ensino da Red Balloon e está procurando por um curso de inglês voltado aos pequenos e jovens — e que fortalecerá a trajetória do design thinking na educação do seu filho —, não deixe de conferir nosso site e conhecer todos os programas e atividades disponíveis em unidades de todo país.

Compartilhe:

Deixe seu comentário:

Siga nosso instagram!