4 dicas de como se tornar fera na gramática inglesa

Saiba o que deve ser feito na hora de estudar a gramática inglesa e aprenda alguns conceitos básicos de como aprofundar seu aprendizado!

A necessidade de aprender uma língua estrangeira pode ser percebida ao longo da vida, principalmente porque muitos de nós têm como objetivo construir uma carreira alinhada com nossos próprios desejos e ambições dentro do mercado de trabalho, e, nesse caso, aprender inglês é um passo que deve ser ao menos considerado para a materialização desse objetivo.

No entanto, a gramática inglesa pode ser um empecilho para aqueles que estão se aventurando nesse novo mundo, e isso pode ser um pouco frustrante durante o aprendizado da língua.

Apesar disso, queremos tranquilizar você em relação a esse assunto, visto que, apesar de ser um pouco trabalhoso, entender a gramática inglesa não é nenhum bicho de sete cabeças, levantando, até mesmo, discussões sobre o que é mais difícil aprender: o português ou o inglês.

Dessa forma, garantimos que, com as estratégias corretas, você pode, realmente, desenvolver-se muito bem nessa área ou ajudar seu filho com isso, caso seja um familiar preocupado.

Se você se identificou com alguma dessas situações, então, vamos ao que interessa. Continue a leitura conosco e descubra como se tornar fera na gramática inglesa!

Dica #1 – Defina o seu objetivo ao aprender inglês

“Qual a importância de estudar inglês”, alguns se perguntam. Bom, isso depende do seu objetivo. Para aqueles que desejam aprender a língua para a compreensão de conteúdos a nível pessoal, como poder assistir a filmes, séries, ouvir música e podcasts ou mesmo ler livros e/ou gêneros literários diversos, o estudo da gramática inglesa pode ser igualmente menos rigoroso, visto que, a princípio, o seu uso técnico não será avaliado.

Na verdade, essas atividades podem, inclusive, melhorar a sua relação com essa matéria de forma simbiótica, já que, quanto mais você consome esses conteúdos, mais você pode compreender como a língua inglesa funciona, ao menos dentro do uso coloquial.

Veja também:

Entretanto, se o seu propósito for mergulhar na língua e fazer dela parte do seu arsenal de habilidades profissionais, talvez, o mais indicado seja que você realmente domine as técnicas e estruturas gramaticais, de modo com que você não se dê ao luxo de cometer erros básicos na sua comunicação. Já imaginou dar aquele vacilo na hora de apresentar um trabalho, mandar um e-mail ou mesmo escrever um texto importante? Not cool, não é?

Por isso, para que a mensagem fique clara, vamos reforçar: primeiro, entenda para que você quer usar o inglês para, só então, entender o quão longe você precisa ir no domínio da gramática. Afinal, pode não fazer sentido para você memorizar todos os seus detalhes.

Dica #2 – Busque entender as classes gramaticais

No inglês, as classes gramaticais são chamadas de Part of Speech e são divididas, majoritariamente, em 8 tipos de palavras ou 9, se forem contados os artigos. São elas:

  • Articles (artigos)

Essa classe de palavras é utilizada para introduzir e determinar um substantivo (noun).

Exemplos: the, a, an

  • Nouns (substantivos)

É um tipo de palavra que identifica e nomeia algo, seja uma coisa, uma pessoa, um lugar, uma forma de vida, uma qualidade, uma ideia ou uma ação. Pode encontrar-se tanto no singular quanto no plural.

Exemplos: dog, love, bank, anyone, tree, book, loyalty, breath.

  • Pronouns (pronomes)

São utilizados para substituir um nome, geralmente, fazendo referência a ele quando já mencionado na frase. Também podem ser indicadores de posse de determinado substantivo.

Exemplos: I, you, he, she, it, we, they, mine, yours, his, her, its, our, their.

  • Verbs (verbos)

É uma palavra que descreve uma ação executada ou um estado.

Exemplos: take, ride, be, feel, sleep, wake, push.

  • Adjectives (adjetivos)

É um tipo de palavra que descreve e qualifica um substantivo.

Exemplos: blue, beautiful, loose, deep, comfortable, tall, interesting.

  • Adverbs (advérbios)

É um tipo de palavra que descreve e qualifica um verbo ou que indica condições de tempo e lugar.

Exemplos: hardly, badly, well, tomorrow, here, there, anywhere, when, after.

  • Prepositions (preposições)

Um tipo de palavra que vem, geralmente, antes de um pronome ou substantivo, indicando direção, lugar, localização ou relação espacial, expressando uma relação entre duas orações diferentes.

Exemplo: on, between, by, with, at, in.

  • Conjunctions (conjunções)

Já as conjunções são verdadeiros conectores de orações ou de dois termos de mesma função sintática.

Exemplos: but, so, and, because, for, or.

  • Interjections (interjeições)

São palavras que indicam emoções ou surpresas e, geralmente, são acompanhadas de pontos de exclamação.

Exemplos: Hey!, Oh!, Gosh!, Geez!, Ew!, Ugh!, Hurray!, Woops!

Entender essas classes gramaticais é fundamental para que você possa começar, de fato, a dominar a língua inglesa, e entender suas estruturas e ordem de utilização é igualmente importante, e é isso que veremos a seguir.

Dica #3 – Estude a ordem correta das classes gramaticais

Ao praticar o inglês, tenha em mente que é necessário sempre seguir uma ordem estrutural de como as palavras são dispostas em uma frase.

A ordem segue a sequência: noun -> verb -> object, como no exemplo abaixo.

“Jack (noun) wrote (verb) a new song (object).”

Quando houver outras palavras de diferentes classes gramaticais na frase, busque sempre seguir a seguinte ordem:

Article -> adjective -> subject (noun) -> verb -> adverb -> preposition -> article -> noun.

Por exemplo:

“The blue butterfly flew softly towards the horizon.”

Dica #4 – Atente-se à conjugação verbal

Poderíamos ficar aqui por horas dando toques gramaticais para você, mas isso tornaria o texto longo demais, por isso, vamos fechar com essa valiosa dica.

A conjugação verbal em inglês é extremamente importante para desenvolver boa fluência e uma escrita adequada na língua.

Aqui, citaremos os principais tempos verbais da língua inglesa e alguns exemplos simples de como eles podem ser conjugados, para você ter, ao menos, uma breve noção de como aplicá-los nos seus estudos. Confira:

Present Simple

I do

Present Continuous

I am doing

Present Perfect

I have done

Present Perfect Continuous

I have been doing

Past Simple

I did

Past Continuous

I was doing

Past Perfect

I had done

Past Perfect Continuous

I had been doing

Future Simple

I will do

Future Continuous

I will be doing

Future Perfect

I will have done

Future Perfect Continuous

I will have been doing

Dica bônus

Aprender inglês por conta própria é possível, visto que a capacidade humana de aprendizado é ilimitada, mas convenhamos: buscar cursos de inglês pode acabar sendo uma mão na roda, não é mesmo?

Todos esses conceitos podem ser meio complicados de assimilar, e contar com uma equipe de professores treinada para transmitir conhecimento didaticamente é o cenário ideal para garantir um aprendizado constante e estruturado.

Portanto, nossa dica bônus é: na hora de aprender inglês, busque uma escola especializada!

Se essa ideia faz sentido para você, temos um conteúdo aqui no nosso blog que pode lhe ser bastante útil para sua tomada de decisão, explicando a tradição e a excelência da Red Balloon no ensino linguístico.

Clique no botão abaixo e confira!

Entre em contato